Não digas nada – a tua boca já me pertenceu, Maria do Rosário Pedreira

Não digas nada – a tua boca já me pertenceu

Não digas nada – a tua boca já me pertenceu
e agora tenho ciúmes das palavras. O que
disseres será um beijo pousado nos lábios de
outra mulher, dor e mais dor, traição maior
para quem acreditou que o teu amor era para a morte.
 Não fales – tenho também ciúmes

 da tua voz; ouvir-te é ficar só uma vez mais.

 Maria do Rosário Pedreira

Um comentário:

Pedra do Sertão disse...

E quem teima em dizer?!

Abraço do Pedra